Backstage Music


 
HomeHome  FAQFAQ  SearchSearch  RegisterRegister  Log in  
Photobucket
INTERVIEWERS WANTED!
+Info

Share | 
 

 Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia

View previous topic View next topic Go down 
AuthorMessage
Pieni
Backstage Press | Level 3
Backstage Press | Level 3
avatar

Registration date : 2009-04-06
Number of posts : 548
Age : 38
Country/ City : Portugal / Gaia
Preferred Music Style : hard'n'heavy

PostSubject: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   Tue Aug 07 2012, 14:04

VAGOS OPEN AIR 2012
1º dia



3 de Agosto de 2012
Lagoa do Calvão, Vagos
Line-up: Disaffected, Northland, Eluveitie, Enslaved, Arcturus, At The Gates, Nasum
Texto: Renata Lino
Fotos: Sandra Manuel


O primeiro fim-de-semana de Agosto já quase se tornou para a comunidade do metal nacional como o 13 de Maio para os peregrinos – mas enquanto estes rumam a Fátima, os primeiros dirigem-se para Vagos.
Mais um cartaz de luxo (o quarto), a justificar a atribuição do prémio Vaga D’Ouro para a área cultural.

A banda de abertura foi Disaffected, death metal experimental/progressivo de Oeiras que assinou com a Massacre Records no Outono de 2011 e lançou o seu segundo álbum, “Rebirth”, em Maio passado. O problema com os Disaffected é que “experimentam” demasiado. Podem vir a ser considerados génios musicais daqui a uma década ou mais, mas neste momento, ter os instrumentos a tocar um para cada lado não está a funcionar muito bem. Especialmente no início de um festival – independentemente de os Arcturus, que também têm um som desarmónico peculiar, actuarem algumas horas mais tarde. O público, ainda pouco numeroso, aplaudiu educadamente, mas a confusão era visível nos seus rostos.
Quase todos os temas pertenciam a “Rebirth” – a única excepção sendo o tema-título do seu álbum de estreia, “Vast”. Arrancaram com “Our Will” e terminaram aquela meia hora... estranha com “1460 Steps To Divine”.

www.myspace.com/disaffectedmetal






Se o violino não era pista suficiente, a t-shirt do vocalista/guitarrista Pau Murillo a dizer “folk you” certamente esclareceria quanto ao que se seguiria – se nunca tivessem ouvido falar nos Northland. Tal não parecia ser o caso de muitos, que saudaram vivamente à medida que os músicos entravam em palco e cantaram a letra de “Where The Heroes Die” eles mesmos, uma vez que o micro de Pau não estava a funcionar. Mas isso não atrapalhou a festa. O crowdsurfing manteve os seguranças ocupados desde o princípio, com ou sem problemas técnicos.
A banda espanhola tem apenas um álbum editado, auto-intitulado, lançado em 2010, mas está actualmente a finalizar as gravações do seguinte – pelo que creio ter sido por isso que a sua editora Black Bards conseguiu metê-los no cartaz deste ano. “Whispers In The Wind” é uma das canções novas e é “contra o governo, contra os políticos”. Para dar maior impacto, Pau acrescentou “fuck them” ao discurso introdutório. Apesar da similaridade entre português e espanhol, ele dirigiu-se ao público sempre em inglês. Escolha sensata, na minha opinião pessoal.
“Immortal Forest Song” e “Revenge” foram os últimos temas de um grande e animado espectáculo. Até ouvi algumas pessoas comentarem que, apesar do folk não ser a sua onda, os Northland mantiveram-nos “acesos”. Partindo do princípio que estariam lá pelas coisas mais pesadas, acho que foi um grande louvor.

http://northland.ca










Os fãs do folk tinham muito para festejar, uma vez que os seguintes eram os Eluveitie. Os suíços lançaram um novo álbum em Fevereiro e foi a sua introdução, “Prologue”, e o tema-título, “Helvetios”, que puseram as rodas em andamento. Na verdade, a maioria do alinhamento consistia em músicas recentes.
Chrigel Glanzmann disse ser “a pleasure and a fucking honour” estar finalmente de volta ao nosso lindo país, não só por ser “cool” estar aqui e por todas as raparigas serem “fucking beautiful and hot”, mas também porque Portugal tem a sua própria história celta. E por isso, tivemos “Neverland”. Mais tarde, também “Inis Mona” seria “for you”.
Creio que foi antes de “Meet The Enemy” que Chrigel picou o público, dizendo que tinha ouvido que Vagos era um festival de metal mas até ali ainda não parecia como tal. “Go fucking crazy!”, gritou. E eles assim fizeram.
Também antes de “Kingdom Come Undone” ele disse a alguém (“tu com a t-shirt de Amon Amarth) para conduzir o pit “desde lá atrás até lá à frente”. “Havoc” foi tanto o título da última música como a melhor palavra para descrever os mosh pits criados pelos fãs de Eluveitie.

http://eluveitie.ch/














Dos Celtas para os Vikings: Enslaved. E apesar de cá terem tocado em Dezembro, Grutle Kjellson disse que gostava de tocar em Portugal mais vezes porque “it’s fucking great”. “E está a escurecer”, acrescentou, porque admitamos: uma banda de black metal, por mais progressiva que seja como os Enslaved, fica muito melhor a tocar no escuro.
Não disseram muito mais do que isso – só os ocasionais “obrigado”s, o título de uma canção aqui e ali... mas a actuação em si compensou a falta de falatório. Mesmo que os fãs não tenham tido um cheirinho do novo álbum, a ser lançado em menos de dois meses. À parte de “Allfǫðr Oðinn”, tirada da demo de 1992 “Yggdrasil” para o EP de 1993 “Hordanes Land”, todos os temas tinham menos de 10 anos, como “Ethica Odini”, “As Fire Swept Clean The Earth” ou o tema final “Isa”. Pelo meio, fizeram a sua própria versão de “Immigrant Song” dos Led Zeppelin.

www.myspace.com/enslaved












Vindo do mesmo país, chegou outro tipo de Vikings. O tipo que toca “avant-garde progressive metal” e veste batinas e adereços steampunk.
Ouvi muito sobre os Arcturus não serem bons ao vivo. Agora pude ver por mim própria. Eu sei que avant-garde é sinónimo de não-convencional, e dissonante é um adjectivo chave neste género. Mas a voz desafinada de ICS Vortex era claramente falta de habilidade, não um acto deliberado. E parece que ele estava a alterar as letras, soltando gritos histéricos pelo meio, como se não soubesse o que cantar a seguir – ou foi o que um fã me contou. Não conheço o trabalho deles o suficiente para afirmar tal coisa, mas a pessoa conhece e eu confio nela.
Houve um problema técnico a dada altura, creio que numa guitarra, e Vortex disse que talvez devesse contar uma piada enquanto esperavam. Mas depois admitiu não saber piadas, que talvez devessem chamar o baterista de Enslaved que ele sim, sabia algumas. Não percebi se falava a sério ou estava apenas a ser sarcástico.
“Ad Absurdum”, “Deception Genesis” e “Shipwrecked Frontier Pioneer” foram algumas das canções tocadas naquela noite, que foi a primeira que os Arcturus tocaram em Portugal tanto antes como depois da reunião de 2011. Mas não me parece que tenham causado uma grande impressão na maioria dos presentes.

www.myspace.com/arcturusnorway








Outra banda “reunida” a estrear-se em Portugal, e certamente a mais aguardada, era a sueca At The Gates. E se algum fã de melodic death metal ficou desiludido de alguma maneira, então não esteve no mesmo concerto que eu.
Cada canção, cada tema épico, começando logo com “Slaughter Of The Soul”.
“22 anos e nunca cá tínhamos vindo. That’s fucking crazy”, admitiu Tomas Lindberg. “Muito obrigado por terem esperado”. Depois, a canção seguinte teve uma introdução poética: “Numa noite destas não é difícil de lembrar que, junto, vivemos todos Under A Serpent Sun”.
“Windows”, cá fora “há precisamente 20 anos, numa edição muito underground”, foi dedicada à malta old school. “Vocês sabem quem são”.
Algumas músicas mais tarde, Lindberg ainda estava admirado com o público português, não acreditando que esta era a sua primeira vez no país, apesar de todas as coisas boas que lhes tinham dito sobre nós. Orgulhosa, a multidão começou a gritar “Por-tu-gal!” enquanto uma das guitarras (não sei se de Anders Björler ou Martin Larsson) tocava um excerto da “South Of Heaven” dos Slayer. E então, “Forever Blind”.
“Are you ready, boys and girls? É bom que estejam! Nauseaaaaaaaaaaaaaa!”
E assim por diante. No final, Lindberg disse que tinha sido “fantástico” e “um prazer”. “Demorou algum tempo, mas valeu a pena”. “Kingdom Gone”, o seu primeiríssimo single, foi o grand finale.

www.atthegates.se








O cartaz de Vagos é composto por 6 bandas diárias. Mas a oportunidade de agendar os Nasum veio depois do cartaz estar fechado e a Prime Artists não podia desperdiçá-la – a banda separou-se depois da morte trágica do guitarrista e frontman Mieszko Talarczyk, no tsunami de 2004, e reuniu-se para uma tour única este ano, uma vez que a banda celebraria o seu 20º aniversário se Talarczyk ainda fosse vivo. Isto é apenas isso – a comemoração de um aniversário para “dizer um último adeus aos fãs e ao Mieszko”, este substituído por Keijo Niinimaa dos Rotten Sound. Da mesma maneira que há tours com os seus convidados especiais, este ano foi o festival Vagos Open Air que teve o seu próprio convidado especial: Nasum.
Todos os fãs de grindcore estavam delirantes, não só pelo concerto em si mas por considerarem-no como um sonho tornado realidade, já que nunca esperaram ter a oportunidade de alguma vez ver aquela lenda ao vivo. Pela primeira e última vez em Portugal, viram/ouviram clássicos como “Masshypnosis”, “Scoop”, “Bullshit”, “Relics”, “I See Lies” e “Inhale/Exhale”, entre muitos outros. Tanto a banda como o público disseram adeus em estilo.

www.nasum.com










Last edited by Pieni on Thu Aug 30 2012, 21:37; edited 3 times in total
Back to top Go down
MI-13
Backstage Press | Level 3
Backstage Press | Level 3
avatar

Registration date : 2008-02-26
Male Number of posts : 956
Age : 39
Country/ City : Portugal/V.N.Gaia
Preferred Music Style : MEtal

PostSubject: Re: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   Thu Aug 09 2012, 12:39

GReat Work para as duas .estou mortinho por ver as fotos dos At The Gates e Nasum. as outras estão altamente..
Adorava ter visto At The Gates pela "nostalgia" e Nasum porque de certeza que nunca mais, pela boa descrição dos concertos foi mais um bom vagos
venha de lá o 2º dia

Back to top Go down
Pieni
Backstage Press | Level 3
Backstage Press | Level 3
avatar

Registration date : 2009-04-06
Number of posts : 548
Age : 38
Country/ City : Portugal / Gaia
Preferred Music Style : hard'n'heavy

PostSubject: Re: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   Thu Aug 09 2012, 12:48

MI-13 wrote:

venha de lá o 2º dia

Mais umas horinhas e fica online ;)

Obrigado
Back to top Go down
MaD_DoG
Music listener


Registration date : 2010-08-16
Male Number of posts : 4
Country/ City : Portugal/Barcelos
Preferred Music Style : Death/Thrash metal

PostSubject: Re: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   Thu Aug 30 2012, 14:38

Oh Renata... tempo para a piada fácil...

Quote :
uma vez que o micro de Pau não estava a funcionar...

Se era de pau, como é que querias que funcionasse? Muahahaha

E está aqui o meu contributo para o fórum :P este ano troquei o Vagos pelo Resurrection e não me arrependi nada..algo comum foi o concerto de At The Gates pelos vistos...brutal!!!

Beijito do MaD e boa report mais uma vez!!
Back to top Go down
Pieni
Backstage Press | Level 3
Backstage Press | Level 3
avatar

Registration date : 2009-04-06
Number of posts : 548
Age : 38
Country/ City : Portugal / Gaia
Preferred Music Style : hard'n'heavy

PostSubject: Re: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   Thu Aug 30 2012, 21:40

MaD_DoG wrote:
Oh Renata... tempo para a piada fácil...

Quote :
uma vez que o micro de Pau não estava a funcionar...

Se era de pau, como é que querias que funcionasse? Muahahaha

Ah ah! Acredita que pensei o mesmo depois de escrever. Ainda pensei em alterar para "o micro do vocalista" mas depois deixei ficar a "piada" ;)

Thanks e beijitos de volta.
Back to top Go down
Sponsored content




PostSubject: Re: Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia   

Back to top Go down
 
Reportagem: Vagos Open Air 2012 - 1º dia
View previous topic View next topic Back to top 
Page 1 of 1
 Similar topics
-
» Dennis Chambers on Billy's Open Handed Playing
» Megadeth Frontman Issues Open Letter To Metallica
» Any table tennis session on this weekends? 21,22 Apr 2012
» 2012.05.17 - O2 Arena, Dublin, Ireland
» Return To Forever 2CD and Bonus 5.1 DVD 2012

Permissions in this forum:You cannot reply to topics in this forum
Backstage Music :: General :: Hard n Heavy :: Live Music Feedback-
Jump to: